Make your own free website on Tripod.com

Um pouco de Maçonaria

Baltaguimar de Souza Santos Júnior - Ap.'. M.'.
ARLS Fraternidade Cearense nº 0136
Or.'. de Fortaleza - Ce

Antes do meu ingresso no Quadro desta Instituição ouvi muito dos meus irmãos profanos conversas que não verifiquei depois não condizerem nada a respeito de Maçonaria. Entretanto, sou conhecedor que sem pertencer a essa ou aquela instituição, quase nada sabemos dela, até mesmo das instituições religiosas.

Logicamente, eu também era leigo, e na condição de criança, estou buscando esses conhecimentos. Para minha felicidade, recebi por empréstimos do Ir.'. Nilde, da nossa coirmã ARLS Vigilância e Justiça "O BÊ-A-BÁ DO APRENDIZ", escrito pelo Ir.'. Maurício R. Pugas M.'. I.'. do Grande Oriente de Mato Grosso. Com esse impresso, com toda certeza pude tirar parte das minhas dúvidas e, muito mais importante, terei condições de poder argumentar com os irmãos profanos naquilo que posso falar.

A Maçonaria é uma religião? Quase todo lá fora pensa que sim. Entretanto, a Maçonaria não é uma seita, nem Religião, muito menos sustenta dogmas. A Maçonaria é uma associação que prega o respeito a todas as religiões e congrega em seus quadros seguidores das mais diversas crenças religiosas e teorias filosóficas, colocando-se acima das divergências existentes dentro delas para ter a "LIBERDADE DE PENSAMENTO", como um dos seus fundamentos.

Como bom maçom, temos que ter a prática da tolerância em relação às crenças alheias, objetivando aproximar todos os homens em torno da "FRATERNIDADE", que é outro dos fundamentos maçônicos.

Aqui dentro, homens de todas as religiões podem reunir-se, sem hostilidade, dentro de um ambiente de paz, para trocar idéias, buscando o aperfeiçoamento moral da humanidade, que é um dos principais objetivos da Sublime Ordem.

A Maçonaria combate o fanatismo religioso, a hipocrisia e as perseguições religiosas, combate também a união entre o PODER CIVIL e quaisquer religiões, uma vez que essa união, resultaria em tratamento desigual para os homens, contrariando, portanto, outro dos seus princípios fundamentais, que é a 'IGUALDADE DE DIREITOS'.